Novembro 03 2009

 

Rosa Mendes – Carla Sá

 

Jornalista da H+7, Rosa nasceu e cresceu em Lisboa, é muito urbana. O pai é electricista e Rosa sempre gostou de o observar a trabalhar, com ele aprendeu algumas coisas e ficou a perceber imenso da área. Nunca vai de férias para o campo ou para a praia, a sua cidade de eleição é Nova Iorque. Gostava de ir trabalhar para lá e sonha com uma grande oportunidade.

É adepta do desporto e faz todas as actividades do ginásio que frequenta. Gostava de entrar para a equipa de futebol de 5 de Júlio, mas sabe que nunca será aceite. Estudou Engenheira Mecânica e o seu sonho seria trabalhar numa revista de automóveis. Adora tudo o que são actividades masculinas, no entanto tem uma imagem muito feminina. É sexy e os homens olham sempre para ela, mas ela ignora-os, porque adora o namorado e é com ele que pretende casar. Tem uma grande força interior e não dá importância ao que os homens pensam ou querem dela. No entanto, passa a vida a controlar o namorado, com medo que este a traia com outras mulheres.

Tem um sentido de humor apurado. Sabe de tudo na sua área e não tem paciência para discutir assuntos da sua especialidade com outros que saibam menos.

 

Mónica Torres – Mafalda Pinto

 

Mónica é jornalista da H+7. Frequentou o primeiro ano do curso de design mas os trabalhos como modelo impediram-na de o terminar. Os pais estão divorciados e Mónica tem uma meia-irmã do segundo casamento do pai, que é dez anos mais nova e ainda mais gira do que ela. Mónica lida mal com isso. A sua carreira como modelo nunca chegou a descolar verdadeiramente nem conseguiu gerir o dinheiro de maneira a aguentar-se uns anos sem trabalhar. Quando por volta dos seus 25 anos os trabalhos começaram a rarear, Mónica viu-se forçada a encontrar outros trabalhos. Foi aí que entrou para a H+7, para o qual muito contribuiu o vertiginoso decote que levou no dia da entrevista. Da sua carreira de modelo, ficou-lhe a confiança em si própria, especialmente na sua imagem e a consciência do poder que a sua beleza lhe dá.

O seu grande projecto é casar com um homem (muito) rico e não precisar mais de trabalhar. Não deixa de tentar a sua sorte com as chefias da H+7, adoraria que alguma delas olhasse para ela mais do que uma vez e lhe permitisse, enquanto namorada de alguém influente na empresa, não fazer grande coisa. Até que isso aconteça, tem mesmo que trabalhar.

 

Cláudia Madeira – Marta Melro

 

Tirou o curso de Estudos Portugueses, queria ser professora e continua à espera de colocação.

É perfeccionista e uma excelente revisora da H+7. Infelizmente, não consegue apenas corrigir texto e muitas vezes faz comentários acerca dos conteúdos, o que deixa alguns colegas irritados. Cláudia é muito didáctica e está sempre a tentar explicar as coisas. Também é muito maternal mas quando perde a paciência, fica furiosa e começa aos berros. Ninguém se mete com ela… Nem Júlio.

 

 

 

 

 

 

Maria Alice Borga – Sandra Faleiro

 

Ex-cantora, teve somente um sucesso musical quando tinha 20 anos. É frustrada nos seus sonhos e na sua vida em geral.

Agora é recepcionista da H+7. Tenta cantar em bares, sem grande sucesso e está sempre a tentar convencer os colegas a irem vê-la.

Maria Alice parou nos anos 80 e é assim que se veste. Maquilha-se demais, tem umas unhas enormes. Não é ousada no vestuário e tem um péssimo gosto. Vem de uma família muito conservadora, classe média baixa, que a renegou quando decidiu ser cantora. Não fala com os pais nem com o irmão, Edgar e tem uma grande mágoa com isso. Casou com o homem que a ajudou na carreira musical, mas quando o sucesso dela acabou, o casamento terminou também. Tem um grande desgosto por não ter tido filhos, acha-se muito maternal mas as crianças têm uma particular embirração para com ela. Atribui as culpas do seu fracasso a uma cantora da sua geração, de nome Rubi. Foi por causa de Rubi que o marido a deixou. Rubi ainda hoje canta, fez carreira, ao passo que Maria Alice ficou para trás.

Como não tem vida própria, Maria Alice interessa-se muito pela vida dos outros.

 

 

José Santos (o estagiário) – Pedro Jervis

 

Veio de uma família de homens do mar. O seu avô foi capitão de um barco de pesca, enquanto o seu pai passou muitos anos da sua vida como capitão de um paquete de luxo. Desiludido com a vida, o pai de José decide embarcar numa travessia a solo pelo Atlântico num barco à vela. Morre a meio do caminho, engasgado com um caroço de pêssego. A morte do pai teve um grande impacto na vida de José. Terminou o 12º ano mas não entrou na universidade e dedicou-se a tirar as várias cartas necessárias para fazer a travessia a solo de barco à vela. O seu único interesse na vida é o mar. Nada todos os dias para manter a forma física. É um rapaz muito introspectivo enquanto está na revista, onde está a estagiar e é pau para toda a obra. Não partilha nenhum interesse com as pessoas da H+7.

É, ao mesmo tempo, muito supersticioso e profundamente católico. A sua superstição é a razão que o leva a ficar na revista. Sabe que salvou a vida de Aníbal, e sente que Aníbal merece a oportunidade de retribuir essa honra

 

Carolina Galhardo – Mónica Calle

 

É casada com Aníbal Galhardo, com quem teve uma filha, Bárbara. Carolina tem um caso com Jaime, que anuncia como seu personal trainer. Mas Carolina não faz ginástica nenhuma. Nem jardinagem, apesar de também fingir que sim. Gosta de comer e não se coíbe de o fazer, mas às escondidas. Com tanta ginástica, o marido não percebe como é que ela não emagrece. O que ele não sabe é que Carolina passa os dias com o amante, Jaime, que não tem nada aspecto de personal trainer. Carolina adora-o, só não se separa de Aníbal porque é ele quem lhe toma conta dos negócios.

O pai de Carolina começou como jornaleiro, mas fez o grupo Papyro com o suor do seu rosto. Carolina casou com Aníbal apenas para fugir da vergonha, uma vez que já estava grávida. Convenceu-o que o filho era dele e passou o resto da vida a viver do trabalho do marido, que entretanto sucedeu ao seu pai no grupo Papyro. Carolina vive como uma dondoca, é descontraída, esperta e vivaça. Usa as pessoas a seu belo prazer, não se importa com ninguém a não ser com Jaime. É muito convencida e mentirosa compulsiva. Nunca pede desculpa, nunca recua, e é muito segura de si.

 

Bárbara Galhardo – Helena Costa

 

É filha única de Aníbal e Carolina Galhardo. Foi educada nos melhores colégios privados da cidade e frequentou um sem número de actividades extracurriculares, desde o piano à equitação, mas revelou não ter talento para nenhuma delas. Pressionada pelo pai, tirou um curso de gestão numa universidade privada e depois partiu para NY, onde ficou alguns anos, supostamente a tirar um MBA. Mas do MBA, apenas frequentou duas aulas e desistiu logo do curso. Redireccionou então a sua vida… Para as compras e para a escrita. Acha que é mais bonita do que realmente é. Veste-se com um estilo que ela acredita ser muito à frente, muito fashion, mas que não é nada de especial. Escreve dizendo em voz alta o que está a escrever. Foi ainda em NY que começou a escrever o seu primeiro livro, um cruzamento entre um romance e um livro de memórias, que ela acredita que vale a pena serem contadas. Vai querer também um cantinho na revista H+7, onde possa escrever. Acredita mesmo que tem uma inteligência acima da média e não admite que contestem o seu suposto talento.

 

Odete Pinheiro – Maria Simões

 

Trabalha há anos para a família de Gonçalo. Ajuda-o a cuidar da casa e da filha. É o braço direito dele, especialmente desde que ele foi abandonado por Marta. Tem a escolaridade mínima, mas é extremamente inteligente e prática. Tem um filho que trabalha e vive no estrangeiro mas que a vem visitar a Portugal pelo menos no Natal. Nessas alturas, ausenta-se do serviço em casa de Gonçalo.

No trato, é bastante bruta e impaciente, apenas Olívia a consegue amaciar. É arrumada em demasia e tem a mania das limpezas. É mandona e muda a decoração da casa quando lhe apetece, sem pedir a opinião a Gonçalo. Como o seu filho está longe, canaliza os seus afectos para Gonçalo e Olívia, tratando-os como se fossem seu filho e neta. É exímia na cozinha, preparando autênticas iguarias, excepto nos dias em que Gonçalo, que também gosta de cozinhar, lhe pede que o deixe ser ele a tratar do jantar. Os dois são cúmplices e discutem truques culinários.

Para ela, a família e as pessoas de quem gosta são tudo na vida. Cuidar delas não é um dever, é um privilégio, desde que obedeçam às regras mínimas de convivência.

 

Olívia Raínha – Catarina Rebelo

 

A mãe, Marta, abandonou-a quando tinha 4 anos e nunca mais deu notícias. Olívia é inteligente, aplicada e boa aluna, mas é traquinas. Não dá problemas com as notas, mas dá com as faltas de comportamento. É alta e crescida para a idade, tem vergonha do seu corpo porque é maior que as crianças da idade dela e isso faz com que a sua auto-estima seja baixa. Olívia combate isto com partidas que faz na escola. Interessa-se por assuntos bizarros e “nada indicados” para a sua idade. Passa muito tempo na Internet, a pesquisar estes e outros assuntos. Adora o pai acima de tudo. Também gosta muito de Odete, que considera como uma avó, e tem um camaleão como animal de estimação.

A relação de Olívia com as pessoas que lhe parecem más e agem mal é conflituosa. Olívia não deixa passar uma má acção ou uma injustiça e faz tudo para castigar os infractores, especialmente quanto estes agem contra as pessoas de quem ela gosta. Aos olhos das outras pessoas, Olívia é uma criança problemática, mas o pai vê-a como um anjo, o amor da sua vida.

 

Símone Luz – Dina Félix da Costa

 

É a antítese do fútil. Não é uma bomba sexy, detesta festas e saídas à noite. A transformação de Julieta vai ser particularmente complicada para Simone, como mente prática que é, estranha muito o fenómeno.

Simone está sempre a andar pelo mundo, não tem morada fixa, quando está em Lisboa vive em casa de Júlio.

Sempre viveu em Lisboa, perto de Júlio, os dois cresceram juntos. Ele considera-a como um amigo homem, mas ela não gosta. Simone é apaixonada por Júlio, mas nunca se confessou porque conhece a forma dele estar na vida. No fundo, Simone é uma romântica.

Vem de uma família de cinco irmãs, todas domésticas, casadas e com filhos. Simone detesta perceber que as irmãs não têm interesses na vida a não ser falar de fraldas e filhos, por isso, tenta ser exactamente o contrário. Saiu de casa cedo, para fugir ao caos familiar.

Este excesso de mulheres fez com que Simone sempre procurasse mais os homens. Teve um namorado com quem viveu, mas a relação não deu certo porque ela estava sempre longe. Vai ajudar Julieta a ser feminina, mas tem grandes dificuldades em explicar o que isso é…

Ao contrário de Julieta, gostava de casar e ter filhos, mas ainda não sabe nem quando, nem como. Gostava que um dia Júlio reparasse nela como mulher.

publicado por Titinha às 08:31

Horário
Todos os Sábados no Horário Nobre da TVI, a Série mais engraçada da Televisão Portuguesas!