Novembro 03 2009

Personagens

 

Júlio Bordalo – Marco D’Almeida

 

Júlio teve uma educação pouco rígida. A mãe morreu quando ele era pequeno e Júlio foi educado pelo pai, que sempre foi ausente. O modelo que recebeu do pai não foi o melhor e influenciou directamente a sua personalidade. Júlio é um bom colega, e um amigo com quem se pode contar. Mas, no que diz respeito ao sexo oposto, não tem escrúpulos. Aprendeu com o pai a usar as mulheres e a desvalorizá-las. O sucesso com as mulheres vem desde pequeno.

É muito parecido com o pai, mas os dois não se dão bem desde que descobriram que ambos estavam a namorar a mesma mulher.

Estudou sempre em escolas públicas, chegou a director da H+7 por mérito próprio e todos, ou quase todos, o respeitam por isso. Júlio é um bom profissional e sabe o que faz. Tem muita autoconfiança e é muito popular. Adora o seu trabalho mas também gosta dos seus momentos de ócio. Para além dos jogos de sedução com mulheres, pratica futebol com os amigos.

Tem uma situação económica confortável e gosta de tudo o que é bom e caro.

A maioria dos homens tenta imitá-lo e as mulheres desejam-no.

Seduz as mulheres que quer e quando elas já não lhe interessam, é exímio em livrar-se delas. Foge dos compromissos a todo o custo, para ele as mulheres são passíveis de serem usadas e deitadas fora.

 

Julieta Bordalo – Benedita Pereira

 

Enquanto Júlio se dedicava à arte da sedução e fugia de compromissos, Julieta percebe que a sedução por sedução não tem valor nenhum. Ao princípio tem dificuldade em aceitar esta nova condição tentando manter relações com mulheres. Mas o caminho de Julieta é o do amor e não o da conquista.

Eticamente mantém os mesmos valores de Júlio, ou seja, o seu trabalho é importante e, dentro dos limites, luta pelo que acredita e pelo seu emprego. Ao contrário de Júlio, Julieta apercebe-se que para ela, a realização emocional se sobrepõe à realização profissional.

No princípio, Julieta mantém os interesses de Júlio: é um tubarão no emprego, embora goste dos seus momentos de ócio. Gosta de jogar futebol, de produtos de design e de tecnologia de ponta. No entanto tem muitas dificuldades com a maneira como se vê a si própria. Como Júlio subvalorizava as mulheres, ela vê-se agora na condição de subvalorizada. O machismo reinante na empresa e as dificuldades que tem para se afirmar como uma boa profissional, obrigam-na a ultrapassar os obstáculos. Obrigada a lutar pela igualdade de direitos entre os sexos, passa a defender a sua condição e os seus direitos. Julieta ganha uma auto-confiança muito parecida com a que tinha Júlio, a diferença é que não defende a desigualdade entre sexos.

 

Sérgio Castelo – António Pedro Cerdeira

 

Vem de uma família de classe baixa mas aprendeu a ter gostos refinados.

Já teve uma noiva que lhe era infiel e o deixou, o que para ele foi um alívio.

Só gosta de quem gosta dele. É mimado pelos pais, porque foi o único filho a conseguir um bom emprego e a subir na vida. É competitivo e muito ambicioso. Tem um estilo sofisticado mas discreto. Gosta de causar boa impressão e está sempre impecável.

Costuma guardar as fotografias mais ousadas das modelos e enviar aos colegas por e-mail. Também faz montagens com as fotografias das pessoas que trabalham na redacção, colocando-as em situações embaraçosas.

Trabalhou muito com Júlio, por quem tinha uma enorme admiração, é o seu melhor amigo, a quem reconhece méritos, tanto na vida profissional como pessoal. Por isso aceita ser o número dois na empresa, mas só se isso for em relação a Júlio, nunca aceitará sê-lo em relação a Julieta. Não suporta a ideia de Julieta ser a directora da revista, pois já trabalha na H+7 há alguns anos, começou por baixo, trabalhou muito e conseguiu chegar a chefe de redacção. O passo seguinte deveria ser o cargo de director! E não foi, por causa de Julieta

 

Gonçalo Raínha – Marco Delgado

 

Teve uma infância bastante bucólica, passada entre a quinta e a cidade. Isso dá-lhe perspectiva sobre as duas realidades, tem a tranquilidade de quem passou tempo no campo e a eficiência de quem viveu na cidade. Teve uma namorada que o trocou por outro, o que o deixou destroçado, no entanto conseguiu superar e decidiu não desistir das mulheres.

Apaixonou-se perdidamente, casou e teve uma filha, Olívia que nasceu poucos anos depois. Mas acabou por ser novamente abandonado e jamais perdoou a mulher.

Director de arte da H+7, é o responsável pela imagem da revista e tem grande sensibilidade artística.

É um homem inteligente, culto e esperto, muito dedicado no trabalho.

Tem um sentido de humor inteligente e perspicaz. Tem um enorme sentido de justiça, trata bem os seus colaboradores e os seus amigos.

Por vezes, sente que tem o mundo às costas: a filha para criar, uma casa para sustentar, as guerras dentro da revista. Nessas alturas, pensa que as coisas não são justas e que ele podia ter a vida mais facilitada, é quando se torna mais amargo. É um homem que não gosta de surpresas nem de imprevistos.

 

João Igor – Júlio César

 

Extremamente ambicioso, Igor lutou para ter tudo o que tem, começando por baixo como ardina.

O seu grande amor foi Carolina, a filha do dono do quiosque de jornais onde trabalhava, mas não hesitou em trocá-la por uma mulher mais velha e rica.

Embora tenha tido uma educação Católica, não é praticante mas acredita em alguns valores como a família. Não tem nada contra relações extra-conjugais, desde que a mulher não descubra. É um homem confiante no que toca a negócios. Dá-se bem com toda a gente, desde que esteja claro que ele é quem manda. Quem lhe faz frente é esmagado, quem o apoia e o elogia, tem a vida facilitada.

É conservador no modo de se vestir e não dispensa um bom fato para o dia-a-dia.

 

 

Aníbal Galhardo – João Lagarto

 

Casou com Carolina por amor, mas cedo se decepcionou com a personalidade fútil e com o desprendimento da mulher. Hoje apenas permanece casado porque ela é a dona do “Grupo Papyro” e Aníbal sabe que o divórcio seria sinónimo de despedimento.

A relação que tem com a filha Bárbara também não é a melhor. A filha é muito mimada e Aníbal não sabe bem como lidar com ela.

Como o seu ambiente familiar não é bom, é na revista que Aníbal se refugia. Inventa reuniões aos fins-de-semana para se livrar da mulher e da filha. Emocionalmente é frágil, mas é boa pessoa e tem boa relação com os seus subordinados. Quer sempre mais e melhor mas não sabe concretizar, é por isso que lhe dão um desconto. Se percebe que alguém está com algum problema, chama a pessoa ao seu gabinete e comporta-se como se fosse um psicólogo.

Aníbal quer muito que a revista cresça, gosta de estabelecer objectivos e exige resultados. Gosta de mostrar a Igor que tem tudo controlado. Quando não tem, mente para proteger a revista. Estas situações deixam-no stressado e com ataques de pânico. O facto de ser hipocondríaco não ajuda e Aníbal vê-se muitas vezes em situações de aflição. Tem uma farmácia no seu gabinete, para as eventualidades.

 

Diogo Rivera – Ivo Alexandre

 

Vem da província, Évora, onde os pais são donos de várias terras. É de ascendência aristocrática, mas ninguém no escritório sabe. Fez todo o liceu em casa, com um preceptor, e foi para a faculdade estudar gestão de fortunas, curso este iniciado e financiado pela sua família. Diogo foi o primeiro e único aluno. Ao contrário de Diogo, os pais são muito orgulhosos de serem aristocratas e acabam por desprezar quem não o é. Diogo acaba por fugir para Lisboa, contra a vontade dos pais, com quem tem uma relação quase inexistente. A nível pessoal, nunca teve uma namorada a sério, embora escrevesse muitas cartas a mulheres por quem se apaixonava. Estas mulheres nunca vinham a saber quem lhes escrevia as cartas, porque Diogo nunca teve coragem de se revelar. No seu íntimo é muito envergonhado e não se sente bem consigo próprio. É apaixonado por Rosa mas a sua postura com as mulheres é marcada por uma enorme timidez, não consegue dizer-lhes uma única palavra, o que é uma surpresa para Julieta que ao principio estranha a postura dele em relação a ela.

 

Américo Cabanas – André Nunes

 

Viveu com os pais e o irmão mais novo (Luís) em Portalegre, até que veio estudar para Lisboa onde iniciou uma relação séria com Filipe, com quem vive actualmente. O irmão sabe que ele é homossexual, mas aos pais nunca confessou. Na revista ninguém desconfia e Américo faz todos os possíveis para que isso nunca aconteça. Tem uma atitude dupla, consoante o contexto onde está. Na intimidade, tem comportamentos mais femininos e exuberantes, mas em público não. Ninguém desconfia que ele é gay. Américo faz todos os possíveis para o disfarçar, levando as suas atitudes ao extremo, fazendo-se passar como o maior chauvinista da empresa.

Tudo isso para não ser descriminado na empresa e poder seguir o percurso profissional que quer.

Tem fobia de répteis e gosta de homossexuais assumidos. Não é amargurado, nem reprimido, apenas sabe como estar nos diversos quadrantes da sua vida e o que fazer para atingir os seus objectivos. Adora estar na revista, gosta de escrever para homens (faz as reportagens menos masculinas da revista). Quer ser chefe de redacção e, por isso, ajuda Sérgio a ser director.

publicado por Titinha às 08:45

Visitas à Série
Estadisticas y contadores web gratis
Horário
Todos os Sábados no Horário Nobre da TVI, a Série mais engraçada da Televisão Portuguesas!
Site Oficial da Novela na TVI

Vídeo de Apresentação